Estes planetas órfãos nunca irão ver a luz do dia
5 de Janeiro de 2022

Já ouviste falar em planetas errantes, ou órfãos? São planetas que não orbitam qualquer estrela e que andam à deriva no espaço sideral. Pode parecer estranho, mas estes planetas existem – e uma equipa de astrónomos descobriu pelo menos 70 (poderão ser até 170) numa região próxima, na Via Láctea.

Esta é a maior amostra de planetas deste tipo descoberta num único grupo – representa quase o dobro da quantidade de planetas errantes conhecidos até agora!

Estão localizados numa região visualmente não muito distante na Via Láctea, denominada associação estelar OB Scorpius Superior, a cerca de 420 anos-luz da Terra. Uma associação OB combina essencialmente dois tipos diferentes de estrelas: estrelas de tipo O, que são muito quentes e extremamente luminosas, emitindo sobretudo luz ultravioleta, e estrelas do tipo B, também muitíssimo brilhantes e azuis. Como as estrelas de tipo B e O libertam muita energia, têm uma vida relativamente curta – e normalmente encontram-se na mesma vizinhança cósmica.

Mas os planetas de que falamos não estão na órbita destas estrelas – são solitários. Dados obtidos durante mais de 20 anos de observações mostram que serão pelo menos uns 170, e que têm dimensões semelhantes às de Júpiter!

Os astrónomos estão a tentar descobrir a sua origem: se em geral os planetas se formam pela contração de anéis de gás e poeira em volta das estrelas, como se terão formado estes planetas e como foram ejetados da órbita das suas estrelas-mãe?

Tendo em conta que existem muitas outras regiões de formação de estrelas semelhantes a Scorpius Superior, poderá haver milhares de milhões de planetas errantes a vaguear pelo Universo dos quais não temos ideia – pelo menos até agora. Os astrónomos esperam que o Observatório Vera C. Rubin, que irá começar a operar nesta década, nos permita descobrir muitos mais planetas errantes.

Vê esta animação para ficares com uma ideia dos que já conhecemos.
 

Crédito da imagem:  University of Bordeaux

Facto curioso

Os astrónomos descobriram pela primeira vez planetas errantes na década de 1990. Mais de 80 mil imagens de largo campo de visão recolhidas durante mais de 20 anos de observações ajudaram a descobrir estes 70 planetas. O Observatório Vera Rubin, em construção no Chile, recebeu o nome de uma das astrónomas mais importantes do século XX, conhecida como a “mãe” da matéria escura. As investigações de Vera Rubin confirmaram a existência desta substância que preenche quase todo o Universo, representando 85% da massa total do Cosmos!

This Space Scoop is based on Press Releases from NAOJ , NOIRLab .
NAOJ NOIRLab
Imagem

Ainda com curiosidade? Aprende mais...

O que é o Space Scoop?

Descobre mais Astronomia

Inspirando uma nova geração de Exploradores Espaciais

Amigos do Space Scoop

Contacta-nos